Post sem título, sem pé e sem cabeça

Eu tenho uma amiga cujo namorado é o melhor do mundo, na opinião de toda solteira romântica. Ele é o tipo de cara que manda flores e traz presentes e bombons em dias aleatórios e liga três vezes ao dia apenas pra dizer que a ama. Nunca esquece um aniversário de namoro desde o primeiro mês juntos e a festa de noivado dos dois foi linda e em família.

E todas as meninas sonham com um namorado destes, porque quem é que não quer ser acordada todos os dias com um café da manhã maravilhoso, quem é que não quer ser adorada e mimada o tempo inteiro?

Eu não quero.

Mas é que eu to muito satisfeita com aquele cara que não é romântico de dizer coisas bonitas de maneira infindável. Quando ele diz que me ama, não diz “Você é linda, inteligente e eu te amo do fundo do meu coração”, mas diz “Puta que pariu, você é muito linda, você é foda, eu te amo pra caralho” e eu acho que assim é mais divertido. Quando quer me fazer rir, ele não me faz cócegas, mas diz qualquer coisa que me irrite muito e é engraçado, porque só tendo a nossa sintonia isso não vira briga. Quando ele quer ser lindo de verdade, me faz surpresinhas e me deixa sorrindo de canto a canto só de lembrar da delícia que é ver aqueles olhos de cílios compridos bem pertinho dos meus.

Eu não quero um namorado que seja o mais romântico do mundo. Ninguém tem saco pra ser a pessoa mais romântica do mundo o tempo inteiro, e quando o romantismo falha uma vez que seja, vira problema. Porque será que ele não ligou hoje? Cadê meu café na cama? Há quanto tempo você não manda flores, hein?

Eu quero humor. Eu quero rir de gargalhar, e ficar surpresa quando vierem as flores e o café na cama. Eu quero achar lindo quando ele me ligar apenas pra ouvir a minha voz mesmo que isso aconteça com a frequência de um eclipse  solar. Eu quero não enjoar da ternura que eu sinto quando ele aparece de surpresa e faz meu coração parar por um segundo. Eu quero saber que é verdade quando ele me diz as doçuras que me diz. Quero deitar naquele abraço morno e saber que ele sente a mesma saudade, a mesma quentura, a mesma borboleta-coruja no estômago.

E eu quero continuar escrevendo posts lamentáveis e sem sentido como este, semana após semana, somente para celebrar a beleza que é estar completamente brega de apaixonada.

Anúncios

Um pensamento sobre “Post sem título, sem pé e sem cabeça

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s