Saudade é aquilo que ficou daquilo que não ficou

Acho engraçada a forma como a gente vê o mundo de forma completamente diferente e, mesmo assim, somos (ou fomos, você escolhe) tão relevantes na vida um do outro. Eu gosto de pensar que somos, apesar de você achar diferente. Nosso amor foi intenso, inteiro, desses de queimar e arder numa chama só. Eu segui em frente, sim, mas isso – ao contrário do que você pensa – não significa que eu não tenha te amado. Aliás, depois de tudo o que nós passamos, juntos e separados, depois de ter passado o que passei pra tentar ficar contigo, foi como um soco no estômago saber que você não acredita que eu tenha te amado. Ou que eu ainda te ame do meu jeito.

Exatamente como um soco no estômago: primeiro eu fiquei assustada, depois eu notei que não conseguia respirar direito, em seguida eu percebi o que estava acontecendo e fiquei foi bem puta da vida, e aí então eu suspirei e pensei: “oh, well… uma pena”.

Uma pena você, que me conhece tão bem, tão bem quanto ninguém, desrespeitar meus sentimentos e subestimar minha capacidade de amar dessa forma. Uma pena a pessoa que eu sempre julguei a mais compreensiva que eu já havia conhecido, deliberadamente escolher não mais me compreender. Decepcionante, na verdade.

Eu só queria que você entendesse que, depois de nós, estive no lugar mais escuro em que eu já fui nessa vida, e eu não desejo isso pra ningém. Eu certamente não desejo voltar lá. Não preciso de você me dizendo o quanto você sofreu ou o quanto todos os envolvidos estavam tão dispostos a me ter em suas vidas quando eu amarelei e voltei pra casa. Eu já me senti covarde o suficiente por tempo suficiente. Eu já chorei essas lágrimas e eu já enterrei essa dor porque, afinal de contas, me custou coragem pra caralho desistir de você ao invés de seguir em frente com isso e fazer da vida de todos nós um inferno. Uma pena você não mais desejar me compreender.

Eu sinto sua falta. Sinto falta do seu humor e da sua presença vibrante. Sinto falta da sua doçura, da sua forma carinhosa de lidar comigo e com os problemas que eu trazia a você. Sinto falta de te ouvir e da sua risada, das conversas intermináveis até amanhecer, dos papos pelo skype e das poucas vezes em que eu te vi e segurei sua mão. Dos seus olhos verdes. Sinto falta da sua falta de paciência com algumas coisas, várias coisas. Sinto falta de mandar você ir se cuidar. Sinto falta de te conhecer. Todos os dias eu penso em você.

Por favor, não pense que eu não te amo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s