Lucas,

Ainda é muito estranho pra mim te escrever assim, esperando que onde quer que você esteja você possa saber do que se trata este texto. Você era jovem demais…
Nós nem éramos próximos, primos tão distantes, e a sua partida me acertou de um jeito que eu nunca imaginei. Talvez porque você tivesse a idade da maioria dos meus amigos. Talvez porque nós tenhamos crescido perto. Talvez porque sua mãe emprestada é uma das mulheres mais importantes da minha vida. Talvez porque sua menininha seja do mesmo tamaninho do Miguel, que eu não imagino viver sem o pai. Eu realmente não sei.

Esse texto não diz nada, na verdade. Talvez nada que alguém gostaria de saber antes de morrer, eu acho. Não posso prometer ficar ao lado da Raquel, você sabe que a gente mal se conhece. Também não posso jurar que cuido da Maria Luiza, ela nem deve se lembrar de mim.

Eu só quero mesmo dizer o quanto eu sinto. E agradecer por umas coisas, que talvez seja tarde demais. É que você foi o irmão do meu irmão quando eu não podia estar perto dele. E ele sempre falou tanto e tão bem de você. E ele está muito muito triste com a sua partida, e isso também parte meu coração.

Como eu disse antes, esse texto não diz absolutamente nada de importante, apenas que eu sinto muito.

Vá em paz.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s